quinta-feira, 3 de maio de 2018

Confira todas as versões da Bandeira Brasileira

Não existe um brasileiro que não sabe como é a bandeira do Brasil...tá deve ter um bando, mas depois de mostrar todas as versões do Hino Nacional Brasileiro, e a origem do nome de todos os nosso estados, é apenas justo mostrar todas as bandeiras que o nosso país já teve.

Vamos começar com a primeira de todas, que nem é brasileira, a Bandeira da Ordem de Cristo era a bandeira que os portugueses usavam quando eles chegaram no Brasil lá em 1500.
A bandeira (como você deve ter sacado) representa o cristianismo acima de tudo.


Originalmente os territórios da América Portuguesa (como era chamado o Brasil na época)  nunca tiveram bandeira própria, uma vez que a tradição portuguesa era a de hastear a Bandeira do Reino, em todos os territórios da Coroa de Portugal. Assim, as unidades administrativas que constituíram a América Portuguesa (capitanias, Estado do Brasil e Estado do Maranhão) nunca tiveram bandeiras próprias, eles usavam as bandeiras de navegação portuguesa.

Já as embarcações portuguesas usavam a Bandeira do Reino de Portugal que na época era muito mais simples do que a bandeira portuguesa moderna.


Como você deve saber os portugueses dominaram o nosso país por muito tempo, tanto tempo que eles trocaram de bandeira várias vezes (e consequentemente os brasileiros também), essa bandeira aqui é a bandeira do Rei Português D. João III, ela foi usada durante o começo da colonização do nosso país até o ano de 1580.

Os portugueses não foram os únicos a colonizar o Brasil, ele e os espanhóis viviam em guerra brigando pelo controle, quando os espanhóis passaram a dominar Portugal essa foi a bandeira que eles usavam, que é a bandeira portuguesa meia "vandalizada".


Depois de restaurada a independência de Portugal (final do domínio espanhol e renascimento do Reino de Portugal), uma nova bandeira chamada de Bandeira de Restauração foi utilizada, é basicamente as mesma bandeira com um azul na borda.

Em 1645, Dom João IV concedeu a seu filho Teodósio o título de "Príncipe do Brasil", título que todos os herdeiros da coroa começaram a usar. O Brasil então elevara-se à categoria de principado, ganhando então sua própria bandeira, essa sim foi a primeira bandeira do Brasil.


Em 1815, o Brasil foi elevado a Reino Unido ao de Portugal e Algarves por Carta de Lei de 13 de maio de 1816, para a ocasião foram criadas armas para o novo Reino, que passaram a estar incluídas nas armas do novo Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves.
O emblema  porem nunca se concretizou ele é apenas hipotético. mas segundo descrições da época ele seria assim, como você vê logo acima.


Já a bandeira do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves ficou assim.


Após a Independência a Bandeira Imperial do Brasil foi criada, originalmente ela servia como pavilhão pessoal do Príncipe Real do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves, a pedido de D. Pedro de Alcântara, ainda como príncipe-regente. 
Seu autor foi Jean-Baptiste Debret, entre setembro e dezembro de 1822 o pavilhão passou a ser utilizado para representar a nação após sua independência, ainda considerada um reino. Apenas com a sagração de D. Pedro I como imperador é que foi substituída a coroa real do brasão pela imperial. 
Essa é a primeira bandeira parecida com a moderna, ela foi mudada duas vezes para alterar o número de estrelas que foi para 19 e depois para 20. As cores tem um significado: a cor verde é em referência à casa de Bragança, da qual fazia parte D. Pedro I, a amarela simbolizava a casa de Habsburgo, da qual fazia parte D. Leopoldina.


Quando o Brasil virou República sua bandeira mudou novamente, uma das primeiras bandeiras republicanas foi proposta por José Lopes da Silva Trovão. Mas porque ela se parece com uma cópia da bandeira dos E.U.A? Bom porque ela realmente era uma cópia. Inspirada na bandeira dos Estados Unidos, ela preservava as treze listras referentes às treze colônias americanas. Além disso, dispunha vinte estrelas em grupos de cinco, sobre quadrilátero preto, que homenageava a população negra do país. 
Essa bandeira foi içada na Câmara Municipal do Rio de Janeiro em 15 de novembro de 1889, hasteada por José do Patrocínio, e para completar o plagio naquela época nosso país era chamado de Estados Unidos do Brasil.


Outra versão da mesma bandeira, criada por Ruy Barbosa, tinha o quadrilátero azul em vez de preto, contendo vinte e uma estrelas, foi usada no mastro do navio Alagoas, que levou a família imperial brasileira ao exílio, e também foi hasteada na redação do jornal A Cidade do Rio. Foi essa versão alternativa que o governo provisório republicano adotou por apenas quatro dias.


Em 19 de novembro de 1889, Lopes Trovão, acompanhado de sua comitiva, foi à casa de Deodoro da Fonseca para oficializar a bandeira. Deodoro porém sentiu cheiro de plágio, ele achou a bandeira muito parecida com a bandeira estadunidense e sugeriu que a nova bandeira fosse igual a bandeira imperial, com a eliminação da coroa imperial que encimava o brasão de armas.
A primeira proposta de bandeira republicana não foi aceita, mas el não foi descartada, ela serviu de base para primeiramente, a bandeira do Estado de Goiás, apesar de outras bandeiras estaduais serem semelhantes, como as dos estados de Sergipe e do Piauí.


Outra bandeira republicana vetada também foi reciclada, hoje ela  representa o estado de São Paulo, criada em 1888 pelo abolicionista Júlio Ribeiro. Foi hasteada no palácio do governo nos primeiros dias da República. A bandeira de Ribeiro, porém, ficaria caracterizada como a bandeira do Estado de São Paulo, sendo seu uso cívico consolidado apenas com a Revolução de 1932.



Durante os primeiros anos da República nós não tínhamos uma bandeira oficial havendo diversos exemplares com pequenas imprecisões ou mesmo outras bandeiras completamente diferentes, criadas de maneira totalmente informal. 
Dentre as versões alternativas, as que mais foram usadas apresentavam uma estrela vermelha de cinco pontas – símbolo republicano – sobre o brasão imperial ou tomando todo o centro do losango amarelo.


Sabe aquele papo que o verde representa a natureza, o azul as águas e o amarelo o ouro de nosso país? Tudo baboseira, a atual bandeira nacional mantém, embora um pouco modificado, o campo verde e o losango amarelo da bandeira imperial. Substituiu-se o brasão de armas imperial pelo círculo que, como a anterior, também representa a esfera celeste; a faixa eclíptica foi substituída pela faixa azimutal e a cruz da Ordem de Cristo pelo Cruzeiro do Sul.
A ideia da atual bandeira foi desenvolvida por um grupo formado pelo positivista Raimundo Teixeira Mendes, vice-diretor do Apostolado Positivista do Brasil, por Miguel Lemos, diretor do Apostolado Positivista do Brasil, e por Manuel Pereira Reis, catedrático de astronomia da Escola Politécnica do Rio de Janeiro. O desenho do disco azul foi executado pelo pintor Décio Vilares e, por indicação de Benjamin Constant, acrescentou-se em meio às estrelas a constelação do Cruzeiro do Sul, com as estrelas Acrux e Gacrux equilibradas.



Essa foi a última versão de nossa bandeira, até hoje não houve mais modificações quanto às dimensões e as suas formas, a bandeira adotada pelo decreto n.° 4, de 19 de novembro de 1889, permanece intacta até hoje, à parte o acréscimo de algumas estrelas, no círculo azul, representativas dos novos Estados que passaram a fazer parte do Brasil, todas essa estrelas são constelações (se quiser saber mais sobre isso clique aqui).


Como eu já disse existiram várias versões rejeitadas e criadas não-oficialmente, aqui você vê todas elas. Como elas são "falsas" não tem muito o que dizer sobre elas, mas é sempre bom mostrar não é?






E essas foram todas as bandeiras que nosso país já teve. Se você curtiu a matéria curta o nosso facebook, não deixe de ler mais coisas interessantes e se divertir em nosso site.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...